Do Sonho Grande ao projeto: como a EESC jr. está transformando a cidade de São Carlos

A EESC jr., em conjunto às outras mais de 600 Empresas Juniores existentes no Brasil, é parte do maior movimento de empreendedorismo universitário jovem do mundo, o Movimento Empresa Júnior (MEJ).

O propósito do Movimento Empresa Júnior é claro: formar empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. A formação se dá pela vivência empresarial, que se sustenta na realização de projetos reais, com clientes reais e que solucionam dores reais da sociedade e do mercado; e a transformação acontece na ação.

Em março de 2017, em parceria com a prefeitura municipal de São Carlos, a EESC jr. deu um primeiro passo na realização do seu sonho: um Brasil mais Empreendedor. Em cerimônia solene no Paço Municipal da cidade, a Prefeitura Municipal, EESC jr. e Complano (investidora do projeto) assinaram a prestação de um serviço nunca antes realizado na cidade, a otimização de processos internos da Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano da cidade de São Carlos. Tal otimização será um grande feito tendo em vista a visão da Secretaria em obter certificação em excelência na Gestão Pública.

 

EESC jr. presta serviço para a prefeitura de São Carlos

EESC jr. presta serviço para a prefeitura de São Carlos

Ao tempo em que mudanças são constantes e o mundo se renova, alguns problemas e dores perduram por anos. Sem solução.

O que talvez tenha sido um pequeno passo para a secretaria, representa, para a empresa, um avanço gigantesco na gestão pública e na sociedade sãocarlense: a manifestação da maior força de transformação de qualquer realidade, a ação empreendedora.

A cultura empreendedora reside no espírito de transformação e na ação que resolve o que não é simples ou trivial. É o espírito que faz acontecer por maiores que sejam os desafios daqueles que o fazem. A EESC jr. existe por mais exemplos como este.

 

EESC jr. – há 25 anos escrevendo história.

Planejamento financeiro: como identificar que preciso de um?

Sabemos que o empreendedor passa por muitas incertezas durante a sua trajetória. Entretanto, é possível reduzi-la com um bom planejamento. E quando falamos de finanças esse cenário não é diferente, pois podemos trabalhar com um planejamento financeiro para orientar o empreendedor e a sua empresa.

 

planejamento financeiro

 

E, como saber se meu planejamento financeiro está ineficiente?

Vamos listar cinco indícios que mostram para você que a sua empresa precisa de um melhor controle financeiro. Eles são:

  1. Entrar em cheque especial: nesse caso a pessoa precisa de empréstimos do banco para poder gastar mais dinheiros. O crédito fornecido é estipulado de acordo com as informações cadastrais e movimentação financeira do cliente. O problema é que os bancos cobram juros muito elevados, pois ele é uma linha de crédito em que os empréstimos são concedidos sem garantias. Por isso, o uso é recomendado apenas em situações de emergência.
  2. Incerteza de investimento: o empreendedor não sabe qual é o momento certo para fazer um investimento. Ele não entende os benefícios de cada investimento e não sabe como priorizar quais são importantes e quais são essenciais.
  3. Não saber como gerenciar o fluxo de caixa: nesse caso, o empresário não tem um controle do dinheiro que entrou e saiu do seu empreendimento. Muitas vezes os métodos que  usam para gerenciamento são defasados, como planilhas pouco elaboradas ou anotações em cadernos. 
  4. Não trabalhar com caixa e competência: o conceito de caixa remete a toda a quantia de dinheiro que entrou ou saiu da conta do empreendimento. Competência, por outro lado, é tudo aqui que sabemos que vai entrar na conta. Pode ser tanto uma quantia financeira, como um bem material. Quando os empreendedores não utilizam esse conceito pode haver grandes problemas, como a perda de um possível investimento ou gasto excessivo que pode levar a empresa a falência. 
  5. Não ter um gerenciamento de contas a pagar e receber.

Conclusão

Ter um bom controle financeiro te ajuda a superar os indícios listados anteriormente. Por isso, escrevemos 5 dicas para melhorar o controle financeiro da sua empresa. Conheça também 10 aplicativos de gerenciamento para você e a sua empresa.

 

Modelo de Negócios: entenda como fazê-lo

O modelo de negócios é uma explicação de como a sua empresa cria, entrega e captura valor por meio de uma organização. Assim, ele possibilita uma maior compreensão das atividades, canais e relacionamentos chaves para o bom funcionamento da empresa. Ele atua, portanto, como uma definição do que a empresa faz e onde ela quer chegar.

Mas como, de fato, definir o modelo de negócios?

Para uma boa definição do modelo de negócios é preciso ter uma compreensão e entendimento de recursos e características básicos da sua empresa. Recomendamos que você utiliza a ferramenta chamada CANVAS para definir o modelo de negócios da sua empresa.

Modelo de negócios

O quadro acima representa o CANVAS. É recomendado que ele seja impresso e preenchido pelos representantes da empresa. Para isso, é preciso ter definido os tópicos abaixo. Eles são:

  • Os segmentos de clientes que você possui. Ou seja, você precisa ter definido quem são os grupos de pessoas ou organizações que você busca alcançar ou servir. As perguntas que você deve saber responder são: ‘para quem estamos criando valor? e ‘quem são nossos consumidores mais importantes?’.
  • A proposta de valor que você oferece para o(s) segmento(s) de cliente(s). É preciso, portanto, saber identificar o motivo pelo qual o cliente escolhe a sua empresa. Saber qual é o seu diferencial é essencial para o bom desempenho de sua empresa. Para tê-la bem definida, é importante saber responder algumas perguntas. Entre elas, temos: ‘que valor entregamos ao cliente?”, ‘qual problema estamos ajudando a resolver’ e ‘que necessidades estamos satisfazendo?’
  • Os canais no qual sua empresa se comunica e alcança seus segmentos de clientes para entregar uma proposta de valor. Para defini-los é sempre importante pensá-lo de acordo o retorno que terão, pensando em seu segmentos de clientes.
  • O relacionamento que terá com cada segmento de cliente. Para isso, é sempre importante pensar no custo e esforço com esse relacionamento. Além disso, deve-se ter claro qual é a expectativa que o seu cliente tem com o relacionamento.
  • A sua fonte de receita. Agora é a hora de entender como a sua empresa irá lucrar com os seus clientes. É importante entender o quanto eles esperam pagar pelos seus serviços, quanto eles pagam e como eles pagam.
  • Os recursos principais que você irá utilizar. Agora é a hora de entender quais são os principais recursos que você precisa ter para que o seu modelo de negócios funcione. Eles podem ser físicos, financeiros, intelectuais ou humanos.
  • As atividades-chaves que devem ser feitas. Você precisa saber identificar quais são as principais atividades que devem ser feitas para que o seu modelo de negócios funcione. É preciso pensar apenas nas atividades que são essenciais para rodar a sua proposta de valor, canais de distribuição, relacionamento com clientes e fontes de receitas
  • As principais parceiras que você precisará ter para fazer o seu negócio funcionar.
  • A sua estrutura de custo. É muito importante ter claro quais são os custos principais do modelo de negócio, quais os recursos e atividades chaves são mais caras.

Conclusão:

Ao responder todos os itens anteriores você identificará toda a estrutura da sua empresa. É importante identificar como cada um se relaciona entre si e se isso faz sentido para sua empresa. A partir disso, é possível ter uma visão mais sistêmica da sua empresa e criar planos de ação para as atividades que não se interligam com o modelo de negócios.

Esse é apenas o primeiro passo para o sucesso da sua empresa. Em seguida, recomendamos que você realize um plano de negócios. Ele é um documento que irá orientar suas ações. Nele, você precisará responder as questões para o sucesso da sua empresa de forma mais clara e certa. Ele irá guiar todos os seus passos durante a trajetória do seu negócio.

Quero saber mais sobre o Plano de Negócios 

 

 

Espaço físico de sua empresa: entenda como ele pode te ajudar

As empresas vivem em um ambiente extremamente concorrido. Por isso, é muito importante se sobressair perante os concorrentes. Uma das maneiras para isso é organizar o espaço físico da sua empresa. Essa prática é muito importante e falaremos sobre seu funcionamento e benefícios a seguir.  

A organização do espaço físico da empresa para que você atinja melhores resultados pode ser feita a partir do projeto de Layout. 

De forma geral, a reorganização do espaço físico é feita a partir de análises do funcionamento dos produtos e gestão da empresa. Ele envolve todos os setores, desde entrada e saída de produtos, estoque e espaçamento de máquinas. É diferente para cada tipo de empresa e é feito de modo que faça sentido para o estabelecimento. Portanto, ele  determina a forma de organizar o maquinário e departamentos para alcançar a minimização de tempo de produção, a maximização do volume de negócios e maximização da capacidade produtiva. Empresas de consultoria fazem esse tipo de projeto.

É de extrema importância que o Layout seja feito de forma eficaz. Erros no projeto de layout podem gerar interrupções no fornecimento, levando à insatisfação do consumidor interno e externo, atrasos na produção, propiciando filas e estoques confusos e desnecessários, além de altos custos relacionados ineficiência da criação de sinergia entre o conjunto do arranjo físico (KANNAN, 2010; SINGH; YILMA, 2013).

Temos, portanto, como principais vantagens sobre a organização do espaço físico de um estabelecimento:

  1. Diminuição do desperdício de materiais e tempo durante os procedimentos no estabelecimento;
  2. Melhoria da produtividade e qualidade do estoque;
  3. Melhoria da qualidade do espaço físico da empresa;
  4. Diminuição da ociosidade de funcionários;
  5. Melhor controle dos processos feitos na empresa.

Conheça qual é o melhor momento para um projeto de layout

Pensamos que você também gostaria de saber sobre:

espaço físico

cta

Empresa Júnior – 5 vantagens em contratar uma

 

Contextualização

A primeira Empresa Júnior de que se tem notícia surgiu na França em 1969. Universitários que sentiam a necessidade de aplicar, na prática, o conteúdo aprendido em sala de aula fundaram a ESSEC.

Hoje, eles fazem parte do Movimento Empresa Júnior (MEJ), o maior movimento estudantil que transforma a sociedade por meio do empreendedorismo. Aplicando o conteúdo da graduação em forma de projetos, as Empresas Juniores (EJs) se desenvolvem e transformam a vida de seus clientes através de soluções inovadoras.  Dentro do movimento formam-se os líderes do futuro, pessoas chaves para a mudança do Brasil. 

Vejamos alguns números do movimento brasileiro abaixo:

movimento empresa júnior

Ou seja, é um movimento grande que  cresce a cada dia e os empresários juniores querem mais. Em 2015 foram realizados 2800 projetos nacionalmente e, até julho de 2016, o Movimento já realizou 2190. A meta estabelecida para o ano de 2016 é de 5000 projetos.  Dessa forma, é possível impactar cada vez mais a sociedade, atingido todos os setores empresariais e transformando o Brasil.

Por que, então, contratar uma Empresa Júnior?

Em nosso outro post, discutimos os 7 motivos para contratar uma consultoria. Mas afinal, quais as vantagens ao contratar uma Empresa Júnior? Elas são:

  1. Alto nível de conhecimento e ótima infraestrutura para realizar o projeto: a universidade é um dos maiores polos tecnológicos e intelectuais do país. Portanto, uma empresa júnior possui acesso a uma vasta biblioteca técnica, laboratórios completos e ao conhecimento dos professores. Além disso, as parcerias com empresas seniores fornecem capacitação e treinamentos com as metodologias mais atuais no mercado aos juniores. Todas essas práticas contribuem para a geração de ótimas soluções para os projetos realizados.
  2. Sede por conhecimento: os universitários têm muita motivação para  aplicar o conhecimento de sala de aula na prática. O aprendizado por projetos desenvolve muito a parte técnica e também a visão sistêmica. Portanto, quanto mais projetos realizados, mais conhecimento adquirido e, consequentemente, mais inovação para futuros projetos. Ao se comprometer dessa forma, o empresário júnior estará se preparando para o mercado de trabalho no futuro. Ou seja, dedicação e comprometimento agora para ser um futuro líder onde quer que esteja.
  3. Preço abaixo do mercado: por ser uma organização sem fins lucrativos e gerida por estudantes, o preço de um projeto é bem inferior ao do mercado. Em alguns casos, o projeto chega a ser 10% do valor de um projeto em uma consultoria sênior. Todo o dinheiro adquirido é reinvestido nos membros em forma de treinamentos, capacitações, ferramentas para execução de projetos e infraestrutura em geral.
  4. Flexibilidade com o relacionamento: como a maioria dos projetos são realizados na cidade onde a empresa júnior se encontra, as reuniões costumam ser mais frequentes. Além disso, as EJs são bem flexíveis em relação às necessidades do cliente. Esse tipo de relacionamento é muito benéfico, pois aproxima o cliente do empresário júnior garantido boa comunicação, alinhamento de expectativas, além de um bom relacionamento. Ou seja, a flexibilidade é uma característica muito presente nas empresas juniores.
  5. Rede forte e integrada: como já dito anteriormente, o movimento empresa júnior possui números bastante expressivos. A presença nessa rede permite troca de experiências, compartilhar as melhores práticas em eventos de integração por meio de benchmarkings e do networking. É muito comum absorver novos conhecimentos e práticas com os exemplos de sucesso de outras empresas juniores. Existem casos de empresas juniores que trabalharam em conjunto em um projeto para um cliente trazendo, dessa forma, uma visão diferenciada e uma solução inovadora.

Conclusão

Mesmo com todos os benefícios de um serviço de consultoria, as empresas muitas vezes não sentem necessidade na contratação de uma. Na maioria das vezes, isto se deve a um custo elevado e ao não entendimento do que é esse serviço. Com isso em vista, as Empresas Juniores  se mostram como solução para esse obstáculo. Estas são empresas de consultorias formadas por alunos de graduação que fornecem serviços de qualidade com custo abaixo do mercado.

Dessa forma, ao contratar um serviço de Empresas Juniores, o empresário alavanca os resultados de sua empresa com soluções inovadoras, além de ajudar na formação de líderes do futuro. Essa relação dinâmica se torna um ciclo positivo em que ambas as partes ganham.

Por fim, é importante ressaltar o impacto e a transformação que as EJs causam na sociedade. Há inúmeros casos de projetos bem sucedidos realizados por Empresas Juniores no Brasil e os clientes são os mais diversos. Como exemplo de empresa júnior que trabalha com um mercado heterogêneo podemos citar o projeto da A.C.E Consultoria (link), EJ dos curso de Administração, Economia e Ciências contábeis da UFPE, realizado para a Sadia. O projeto consistiu  em uma análise de mercado na região de Recife e gerou impactos positivos tanto na esfera comercial como social. Confira nesse link os resultados desse projeto.

7 motivos para contratar uma consultoria

Muito se questiona qual o conceito e principal função de uma consultoria empresarial. Além disso, existe uma grande dúvida quanto ao momento certo e necessidade de contratação de um projeto de consultoria.

Afinal, o que é consultoria?

Uma empresa de consultoria é especializada em prestação de serviços para empresas de micro à grande porte por meio de projetos de consultoria. Tais projetos são realizados por consultores especializados a partir de diagnósticos, metodologia de trabalho e processos que visam sanar as necessidades dos clientes. Isso é feito através da identificação de soluções e da definição de planos de ação. Portanto, a principal função é a melhoria contínua de resultados dos clientes.

Muitos empresários buscam o serviço apenas quando há algo de errado em sua companhia. Por exemplo, quando há gestão financeira ineficiente e baixa no número de vendas. Entretanto, uma consultoria pode ser vista não apenas como uma solução em situações ruins, mas também como uma alavanca para gerar resultados através da manutenção preventiva – inclusive em situações que parecem confortáveis para empresas. Pode-se pensar no projeto de consultoria como prevenção e impulsão para bons resultados.

Mas, enfim, quais são as vantagens de se contratar um consultoria afinal?

  1. Neutralidade (olhar de fora): fechar os olhos para o que está errado na empresa certamente não ajudará a melhorar seu desempenho, certo? A solução, então, é ter olhos críticos e visão analítica. Distinções que nem sempre quem está envolvido em todas as instâncias consegue fazer. E é aí que entra a consultoria empresarial: Com olhar externo, sem visões viciadas de dentro da empresa, tem um melhor questionamento e uma análise crítica dos problemas.
  2. Soluções inovadoras e conhecimento amplo: uma consultoria traz conhecimentos novos e experiências adquiridas em outros clientes. Isso proporciona uma visão externa focada em resolver o problema que você está enfrentando com base na experiência de outros projetos. Assim, os aprendizados que um consultor acumula ao longo da carreira possibilitam maior agilidade no desenvolvimento das soluções que a empresa precisa para alavancar seus resultados.
  3. Economia de tempo e de dinheiro: o consultor precisa trabalhar dentro dos prazos definidos para o projeto acordado entre ele e seu cliente. Isso faz com que tudo fique mais rápido para ser esclarecido e resolvido. Além disso, o vínculo temporário com os consultores é muito mais barato do que a contratação de um especialista.
  4. Foco em resultado: o consultor, por ser uma pessoa de fora, não tem os “vícios” da empresa. Não precisa parar uma atividade e tirar o foco dos negócios. Além disso, por trabalhar com metas e objetivos específicos, o diagnóstico e a execução ficam mais fáceis e rápidos.
  5. Gasto temporário: o trabalho intensivo de um consultor atuando com dedicação exclusiva em prazos definidos minimiza o tempo para geração de resultados duradouros.
  6. Melhoria nas relações empresa/colaborador: além do gestor de cada setor, o consultor também se mostra um porta-voz da organização junto aos colaboradores. Isso deixa claro para as pessoas que a empresa de consultoria está preocupada com a melhoria contínua da empresa para qual presta o serviço.
  7. Vantagem competitiva: Ao contrário do que muitos empreendedores pensam, a consultoria empresarial é de extrema necessidade para a diferenciação do negócio no mercado. É uma ótima oportunidade de fazer melhorias e de se destacar no seu setor de atuação.

Podemos perceber que uma Empresa de Consultoria tem a função de alavancar os resultados de sua empresa. Porém, entendemos que o custo de seus serviços pode ser elevado. Por isso, as Empresas Juniores entram como solução para esse obstáculo. Conheça um pouco mais sobre elas no texto ‘Empresa Júnior – 5 vantagens em contratar uma’